Federação de Judô de Mato Grosso do Sul

Federação de Judô de Mato Grosso do Sul

CBJ divulga Ranking Nacional das Seleções de Base (Sub 18/Sub 21).

Logo CBJ

A Confederação Brasileira de Judô divulgou ontem (20/01) o Ranking Nacional das Seleções de Base (Sub 18 e Sub 21). Confira abaixo, na integra.

Ranking Base 2013 – Dez 2012

 

 

O ranking nacional que definirá os classificados para os Campeonatos Mundiais, Sul-americanos e Pan-americanos a partir de 2013. O ranking começou a ser montado na Seletiva Nacional das classes sub-18 e sub-21, que aconteceu em Vitória, entre os dias 6 e 9 de dezembro, e vai levar em conta os resultados de outros campeonatos que ainda vão acontecer. São eles:

– Campeonatos Brasileiros regionais: Região I: Macapá, 6 e 7 de abril;
– Região II: Aracajú, 6 e 7 de abril; 
– Região III: Rio de Janeiro, 13 e 14 de abril; 
– Região IV: Anápolis, 13 e 14 de abril; 
– Região V: Porto Alegre, 20 e 21 abril;

– Campeonato Brasileiro Final sub-18 – Salvador, 18 e 19 de maio;

– Campeonato Brasileiro Final sub-21 – Fortaleza, 25 e 26 de maio. 

Os Estágios Internacionais, que já tiveram os classificados definidos na última seletiva, também contarão pontos para o ranking. Os atletas convocados pela CBJ estão destacados nos arquivos em anexo (Resultados Seletiva Nacional Sub 18 2012 e Resultados Seletiva Nacional Sub 21 2012). Os demais atletas que ficaram entre os quatro melhores podem aderir aos Estágios.

O sistema de pontuação terá peso diferente para cada competição de acordo com o nível de dificuldade, seja ela nacional ou internacional, seguindo os moldes do ranking internacional. Por exemplo: só a participação num Campeonato Europeu de alto nível, os chamados “Top Ranking”, vale 10 pontos. Já o Brasileiro Regional só distribui pontos para os três primeiros colocados. A tabela completa pode ser conferida no arquivo anexado à matéria.

Contudo, tendo em vista a dificuldade de se competir fora do país, a CBJ decidiu contabilizar no ranking apenas os dois melhores resultados em eventos internacionais. É importante destacar que a pontuação será zerada ao final de cada ano e que os pontos só valerão para a categoria em que o atleta estiver lutando. Por exemplo, um atleta que participou de uma competição no peso superligeiro e outra no ligeiro entrará no sistema de classificação em ambas as categorias mas esses pontos não poderão ser somados ou transferidos.

De acordo com Kenji Saito, coordenador das seleções de base, essa forma é a mais justa e visa garantir que os melhores atletas estejam presentes na seleção, representando o Brasil nos campeonatos internacionais. “A classificação através de ranking é a mais justa porque premia o desempenho do atleta ao longo do ano, ele é avaliado durante meses e não apenas em uma competição”, explica.

Em caso de empate no número de pontos, a classificação será definida a partir dos seguintes critérios e ordem:

1) Melhor resultado em um Campeonato Europeu “Top Ranking”;

2) Melhor resultado em um Campeonato Europeu;

3) Melhor resultado no Campeonato Brasileiro;

4) Melhor resultado na Seletiva Nacional.

 

A posição no ranking garante classificação direta para representar a seleção. O primeiro colocado representará o Brasil no Campeonato Pan-Americano do ano que vem. Se o líder alcançar a marca mínima de 120 pontos, representará o Brasil no Mundial também. Já o segundo colocado disputará o Campeonato Sul-Americano 2013.

“É a primeira vez que um sistema de pontuação é estabelecido para o judô no Brasil. É claro que, como é algo inédito, podem ser necessárias adaptações. Mas estamos muito tranquilos porque o ranking já foi testado nos últimos meses e acreditamos que será muito benéfico para a seleção e para o judô brasileiro de uma maneira em geral”, comenta o Professor Paulo Wanderley, presidente da Confederação Brasileira de Judô.

 

 

 

Compartilhe essa Notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *