Federação de Judô de Mato Grosso do Sul

Federação de Judô de Mato Grosso do Sul

Branco Zanol: Tiago Camilo vive para o judô

“Mesmo o dia de hoje não sendo o melhor dia do Tiago Camilo, farei a minha avaliação em cima da história e não apenas de um dia.

Assim como alguns se dedicaram desde criança para a música, outros para o futebol, outros para a literatura ou jornalismo; enfim, o Tiago viveu desde criança para o judô.

Tiago Camilo nas Olimpíadas de Sidney 2000 foi o judoca na época mais jovem da história do judô mundial masculino a fazer uma final olímpica e foi prata nesse dia com apenas 18 anos. No ano de 2007 ele foi campeão mundial e eleito o atleta mais técnico do mundo, sendo que essa medalha o nosso eterno campeão olímpico Aurélio Miguel tentou durante toda sua carreira e infelizmente não conseguiu.
Tiago é dono de duas medalhas olímpicas, sendo que sua segunda foi a de bronze nas Olimpíadas de Pequim 2008 após oito anos ter conseguido a prata em Sidney 2000 e hoje conseguiu ser o quinto colocado.
Todas essas conquistas em Olímpiadas são um feito inédito, pois quem é judoca sabe que lutar por três medalhas em uma só vida judoística é algo que nem o mais otimista imaginaria traçar na sua carreira. Isso é uma grande vitória para Tiago, pois em outras modalidades como natação e ginastica, por exemplo, o atleta consegue disputar muitas medalhas em uma mesma Olímpiada, já no judô é possível disputar apenas uma.

Isso significa que o judoca terá que durante quase 15 anos se manter em alto nível. No entanto sabemos que o cansaço, as novas lesões que aparecem e às antigas que continuam doendo, as mudanças técnicas e de regras que acontecem ao longo do tempo são obstáculos que a mente tem que superar e sempre manter o entusiasmo em todas as esferas para conseguir concluir um ciclo olímpico com uma medalha.

O ano passado fiz uma entrevista com Tiago e senti-o bem mais humano só que bem mais cansado. Tanto é que no dia ele nem estava treinando devido algumas lesões. Então sai da entrevista achando que ele não teria motivação para buscar uma terceira medalha olímpica, mas foi ai que me enganei. Hoje ele deixou claro que tentou de todas as maneiras possíveis buscar essa medalha tão sonhada, tanto é que durante a sua preparação lutou contra tudo e todos diariamente. Só que como o judô é um esporte individual e de luta, assim quem viveu um pouquinho o mundo competitivo do judô entenderá o que escrevo e à aqueles que nunca sentiram o corpo doer e nunca tiveram que superar a cada treinamento jamais entenderão.

Depois de tanto tempo competindo em alto nível chega um momento que sua cabeça quer todos os dias como sempre quis conquistar uma medalha olímpica, mas seu corpo pede e mostra que não dá. Nesse momento você até se culpa pensando que não tem mais fibra ou a mesma garra, no entanto isso não é verdade, é que o corpo humano não foi feito para tanta exigência dos nossos sonhos e da nossa força espiritual. Você pode até pensar: “mas ele não é assim tão velho, tem apenas 30 anos”. No entanto é preciso considerar que ele iniciou sua carreira ainda garoto.

O Tiago sempre foi um craque, um gênio nos tatames, tanto é que foi cobrado desde garoto lá na cidade de Bastos-SP onde treinava em um lugar onde poucos conseguiram suportar o treinamento do Sensei “Macaqueba”. Com apenas 10 anos de idade ele já aplicava o golpe Ultimata de uma forma fantástica e como se fosse um faixa preta.

Ele foi campeão mundial juvenil aos 15 anos e um ano depois campeão mundial júnior e eu ficava impressionado com tanta técnica e com pouca idade, pois eu que sempre treinava como um cavalo e tentava fazer mil repetições treinando ultikome 2 a 3 vezes ao dia para tentar chegar a técnica perfeita e aquele garoto tão novo fazia tudo parecer fácil.

Os judocas brasileiros, a CBJ, o COB e o Brasil devem muito a esse judoca que conquistou tanto pelos brasileiros e de sobra ainda ajudou indiretamente algumas conquistas, dentre elas: a medalha de bronze de Flávio Canto, pois a presença do Tiago na categoria o obrigou a evoluir muito tecnicamente e mentalmente para conseguir ganhar dele nas eliminatórias para as Olímpiadas de Atenas 2004, sendo o primeiro grande passo para a conquista do Flávio nas Olímpiadas.

Tiago chegou a seleção principal aos 18 anos, eu também cheguei com a mesma idade, em uma época que o presidente da CBJ, Mamede, achava lindo aquelas lutas melhores de cinco todos os anos para decidir quem entraria para a seleção. Hoje vejo como era imbecil eu e o Honorato ficarmos nos gladiando tanto, já que o que interessa mesmo é como você se apresenta diante dos gringos e não com o judoca do seu país. A rivalidade com Honorato foi positiva, pois ajudou a melhorar o nível técnico. No entanto chegou um momento que aquelas lutas perderam o sentido, tanto é que passei a lutar muito melhor no exterior do que no Brasil, não porque o nível no nosso país era menor, mas sim devido a todos os atletas brasileiros já treinarem e competirem juntos há muitos anos e se conhecerem demais. Nossa e como essas seletivas me causaram lesões e atualmente gosto muito do ranking mundial, pois é um critério mais inteligente.

Embarquei para as Olimpíadas de Atenas 2004 como reserva do Honorato e quando retornei sentia que meu corpo não queria mais, então saí da cena competitiva quando iria completar 30 anos de idade.

Nosso judô brasileiro ainda precisa muito do nosso Tiago Camilo, esse atleta que consegue fazer a quinta colocação nas Olímpiadas parecer pouco devido tanto talento técnico!

Arigatô Tiago, arigatô por você ser brasileiro, arigatô por sempre nos representar muito bem”

Foto:CBJ

Compartilhe essa Notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *