Federação de Judô de Mato Grosso do Sul

Federação de Judô de Mato Grosso do Sul

VICTÓRIA (MS) FICA EM 7º NO MUNDIAL DA TURQUIA

Tenório mantém o Brasil no pódio com bronze no Mundial da IBSA

Atualizado em 07/04/2011 15:52

*
*

Tetracampeão paraolímpico comemora vaga praticamente garantida em Londres 2012. Goalball perde e fica em situação delicada Tenório mantém o Brasil no pódio com bronze no Mundial da IBSA

Foto: Exemplus/CPB

O Brasil voltou a subir no pódio do judô no Campeonato Mundial da IBSA nesta quinta-feira, em Antalya, na Turquia. O tetracampeão paraolímpico Antônio Tenório ficou com o bronze e comemorou a classificação praticamente garantida da categoria até 100 quilos nos Jogos de Londres. Os outros brasileiros que lutaram hoje não tiveram a mesma sorte e acabaram fora do pódio. No goalball, duas derrotas deixaram as vagas nas semifinais quase impossíveis.

“De janeiro para cá consegui treinar mais, perdi peso. Subir no pódio foi muito bom, principalmente visando à vaga nas paraolimpíadas. Estou muito satisfeito com o resultado e só consegui esta preparação adequada graças ao patrocínio das Loterias Caixa e ao apoio que tenho do Projeto Ouro, do Comitê Paraolímpico Brasileiro”, disse Tenório antes de subir ao pódio.

António Tenório é uma legenda no judô para cegos. Cada luta do brasileiro era sempre acompanhada por todo o ginásio. Na primeira, sabendo da força de contra-ataque do mongol Myagmar Achirkhuyag, ele lutou de forma conservadora e ganhou por um yuko. Nas duas lutas seguintes, contra o japonês Yoshikazu Matsumoto e o inglês Joseph Ingram, que o havia derrotado no Mundial do ano passado, Tenório conseguiu dois ippons espetaculares para garantir a vaga na semifinal.

O adversário foi iraniano Hamid Alizade, que nunca vencera o brasileiro na carreira. Como para sempre há uma primeira vez, Alizade conseguiu avançar para a final ao vencer por um wazari e um yuko. Na final, ele acabaria perdendo para o coreano Geun Choi.

A disputa pelo bronze parecia uma final, tamanho o silêncio no ginásio. Todos estavam de olho ao que acontecia no tatame B (até a outra luta pelo bronze acabou rapidamente para não atrapalhar). O combate foi amarrado, sem abertura de contagem para nenhum atleta. No golden score também não foi diferente, apesar de Tenório ter tido mais iniciativa e ter ficado mais perto de encaixar um golpe. Depois de mais três minutos, a primeira e única luta na competição decidida pelos juízes, que deram a vitória de forma unânime para o brasileiro.

“Em todas as competições eu sou o homem a ser batido. Agora o coreano ganhou o Mundial e ele é o novo favorito. O judô paraolímpico está cada vez mais forte e importante é que estamos no caminho certo, com o objetivo claro de chegar bem em Londres”, disse o brasileiro.

As competições individuais terminaram nesta quinta-feira e o Brasil ficou com três medalhas, uma de cada metal. Além do bronze de Tenório, Daniele Bernardes Milan (-63 kg), que terminara em terceiro no Mundial do ano passado, foi ouro e Lúcia Teixeira (-57 kg) repetiu a prata de 2010.

“Acho que ficamos dentro de nossa expectativa e o desempenho dos atletas aponta para um futuro bem promissor. Tivemos uma medalha a menos do que no Mundial da modalidade, ano passado, mas em compensação conquistamos um ouro e o masculino subiu ao pódio, o que não tinha acontecido. Podemos ver uma renovação muito grande em todas as equipes e no Mundial da IBSA os países podem inscrever mais de um atleta por categoria, tornando a competição ainda mais forte”, disse Jaime Bragança, coordenador de judô do Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Quem também esteve em ação nesta quinta-feira foi Roberto Julian (-90 kg), que venceu o turco Serdar Bozdemir por ippon, mas perdeu na sequência para o francês Olivier Cugnon no golden score por yuko. Na luta em que teria a chance de lutar pelo bronze, o brasileiro foi derrotado pelo mongol Ganbat Dashtseren, por ippon e ficou em sétimo, mesma colocação de Victória Silva (-70 kg). Medalha de bronze ano passado, a brasileira perdeu na estreia para a bielorussa Arina Kachan por ippon. Na repescagem, Victória venceu a turca Ayesegui Bilgili por ippon e manteve vivo o sonho do bronze. Porém, na luta seguinte, perdeu para a húngara Nikolett Szabo.

Estreantes em competições internacionais, Willians Araújo (+100 kg) e Giovana Pilla (+70 kg) sentiram a pressão e não foram bem. Willians até fez uma luta equilibrada contra o experiente russo Osman Akaov, mas perdeu por apenas um yuko, quando faltavam quatro segundos para terminar. Já Giovana perdeu para a também russa Irina Kalyanova por ippon, em apenas 21 segundos.

fonte CPB

Compartilhe essa Notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *